Palácio de Manique do Intendente

O palácio, localizado na praça principal de Manique do Intendente, impõe-se pela sua monumental fachada que integra ao centro a capela. Os corpos laterais são abertos, no piso superior, por janelas de verga reta com frontão curvo, a que correspondem no piso térreo, vãos simétricos. Ambos os corpos são rematados por balaustrada interrompida por socos coroados por esculturas.

A construção do palácio deve-se ao intendente Diogo Inácio de Pina Manique (1733-1805) que desempenhou vários cargos no tempo do Marquês de Pombal. A sua ligação à povoação que veio a ser designada por Manique do Intendente, e que inicialmente constituía o Prazo de Alcoentrinho, pertença da Ordem de Cristo, provém do tempo do seu tio, que instituiu um morgadio a favor do sobrinho em 1773. Assim se iniciou um projeto muito ambicioso, que previa a criação de uma vila de configuração arquitetónica racionalista e que incluía, para além do palácio (cuja obra ficou inacabada), a Câmara Municipal, o pelourinho, o Palácio da Justiça e a igreja. Tal plano não foi avante face ao afastamento de Pina Manique do cargo de intendente e à sua morte prematura.

A área a afetar a uso turístico é a totalidade do imóvel, excluindo a capela.

O modelo jurídico é o de concessão.

Concelho: 
Azambuja
Envolvente: 
Situado no Largo Pina Manique, disfruta da proximidade a Lisboa.
Categoria de proteção: 
Imóvel de Interesse Público
Técnico Responsável: 
Leonor Picão

Clique para ver imagens imóvel

Localização: