Notícias

Em 20 de dezembro de 2022 foi lançado novo concurso público para a concessão do Colégio de S. Fiel, situado em Louriçal do Campo (Castelo Branco) e edificado na segunda metade do século XIX. O imóvel será, no âmbito deste procedimento, concessionado por 50 anos, por uma renda anual mínima de 21 750 euros. A área bruta de construção total é de 17 394,00 m2 e prevê-se a possibilidade de instalação de um empreendimento turístico (com uma capacidade máxima que poderá ser superior a 100 unidades de alojamento), um alojamento local ou outro projeto com vocação turística. Os investidores interessados têm até 19 de abril de 2023 para apresentação de propostas. [21.12.2022] Em 27 de fevereiro de 2023 foi lançado o concurso público para a concessão do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, em Coimbra, de edificação seiscentista e que se encontra classificado como Monumento Nacional desde 1910. O imóvel será, no âmbito deste procedimento, concessionado por 50 anos, por uma renda anual mínima de 18.828 euros. A área de construção total é de 12.931,50 m2. Os investidores interessados têm até 31 de maio de 2023 para apresentação de propostas. [28.02.2023]
É hoje lançado o novo concurso público para a concessão do Paço Real de Caxias, em Oeiras, imóvel construído em meados do século XVII e que se encontra classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1953. O imóvel será, no âmbito deste novo procedimento, concessionado por 50 anos, por uma renda anual mínima de 174.912 euros, estimando-se um investimento de recuperação na ordem dos 11 milhões de euros. A área de construção total é de 5.817 m2. Os investidores interessados têm até 21 de setembro de 2022 para apresentação de propostas no novo concurso, em condições idênticas às do concurso anterior. [04.08.2022] O Governo anunciou o lançamento do concurso para a concessão de exploração da 7.ª Bateria do Outão, em Setúbal. O imóvel, o 28.º imóvel colocado a concurso no âmbito do Revive, será concessionado por 50 anos para exploração com fins turísticos, por uma renda mínima anual de € 130 987,32. Os investidores interessados terão um prazo de 120 dias para apresentação de propostas que, além da recuperação do imóvel, promovam a sua valorização através da exploração turística. [21.7.2022]
Lançado o concurso para a concessão de uma casa nobre, da primeira metade do século XVIII, em Pinhel, ao abrigo do Programa Revive. O imóvel será concessionado por 50 anos para exploração com fins turísticos, por uma renda mínima anual de € 5.869,57. Este é o 27.º imóvel colocado a concurso no âmbito do Revive. Os investidores interessados terão um prazo de 120 dias para apresentação de propostas que, além da recuperação do imóvel, promovam a sua valorização através da exploração turística e contribuam para atrair turistas para a região e para gerar novas dinâmicas na economia local. [22.6.2022] Lançados os Concursos Públicos de Concessão para requalificação dos Fortes de S. Pedro e de S. João da Cadaveira. Estes procedimentos vão permitir encontrar investidores que procederão à reabilitação destas construções fortificadas para fins turísticos. Este importante património edificado está, assim, abrangido pelo Programa REVIVE que abre o património ao investimento privado para o desenvolvimento de projetos turísticos, através da concessão da sua exploração por concurso público. [Cascais | 15.12.2021]
O contrato de concessão para a reabilitação e exploração turística da Casa do Outeiro, em Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo, foi assinado com a empresa AGNT – Gestão e Mediação, Lda, assumindo-se como mais um exemplo de boa prática para a recuperação de património histórico. Será entregue por 50 anos, para recuperação e exploração turística, incluindo alojamento e componente cultural, num investimento estimado na ordem dos 5,4 milhões de euros, com início de exploração previsto para 2023. [26.11.2021] Governo vai lançar um novo concurso para a concessão do antigo Hotel Turismo da Guarda, que está encerrado há vários anos e cujo primeiro contrato de concessão teve de ser revogado, foi esta segunda-feira anunciado. O imóvel será concessionado por 50 anos para exploração com fins turísticos, por uma renda mínima anual de 35.317,80 euros. [Eco | 26.07.2021]