Forte do Rato

O Forte do Rato, também conhecido como Fortaleza de Santo António e Forte da Ilha das Lebres, foi mandado edificar durante o reinado de D. Sebastião para proteger a foz do rio Gilão e a entrada do porto de Tavira. Mais tarde, em 1670, com a construção do Forte de S. João, o Forte do Rato passou a ter um papel secundário na estratégia defensiva.

Porém, a antiga fortaleza foi renovada, dado que a sua implantação era essencial para reforçar a linha de fogo do novo baluarte. A partir do início do século XIX, o número de soldados aquartelados no Forte do Rato foi diminuindo, até que a guarnição foi extinta em 1840.

De arquitetura militar da época moderna, a fortaleza possui planta poligonal com baluartes nos ângulos, cornija na muralha exterior e no interior da praça distinguem-se ainda, o espaço de aquartelamento, o paiol e o poço de abastecimento.

A área a afetar a uso turístico é a totalidade do imóvel

O modelo jurídico é o de concessão.

Concelho: 
Tavira
Envolvente: 
Situa-se a sudoeste de Tavira, junto à foz do rio Gilão, junto à barra da cidade, a Leste do sítio das Quatro Águas.
Categoria de proteção: 
Imóvel de Interesse Público
Técnico Responsável: 
Rita Assis Pacheco

Clique para ver imagens imóvel

Localização: