O contrato de concessão para a reabilitação e exploração turística do Mosteiro do Lorvão, em Penacova, distrito de Coimbra, será assinado no próximo dia 18 de março, com a empresa Soft Time Unipessoal, Lda. O contrato será assinado pelo concessionário no Mosteiro do Lorvão, numa sessão que contará com a participação do Presidente da Câmara Municipal de Penacova, do Secretário de Estado do Tesouro e da Secretária de Estado do Turismo, com emissão em direto, a partir das 14h30 do dia 18 de março, na página do facebook do município. O imóvel será entregue por 50 anos para a instalação de um estabelecimento hoteleiro, num investimento estimado na ordem dos 7 milhões de euros, com início de exploração previsto para 2024. Além da recuperação do imóvel, o concessionário obriga-se a pagar ao Estado uma renda anual de 37 320,00 euros pela concessão. [17.3.2021]
É lançado a 11 de janeiro mais um concurso público ao abrigo do programa Revive, para concessão da Casa do Outeiro, no concelho de Paredes de Coura. Os investidores interessados terão um prazo de 120 dias para apresentar propostas com vista a transformar o local num estabelecimento hoteleiro ou em outro projeto de vocação turística. Para esta concessão por 50 anos está prevista uma renda mínima anual de 13 800 euros. A Casa do Outeiro, um solar setecentista enquadrado em meio rural, em Agualonga, integra um conjunto notável de solares do concelho de Paredes de Coura, que na região são preferencialmente denominados Casas Grandes. [8.1.2021]
Na próxima 5.ª feira são assinados os contratos de concessão para a reabilitação e exploração turística do Palacete dos Condes Dias Garcia, em S. João da Madeira, e, ainda, do Forte da Barra de Aveiro, em Ílhavo. A primeira cerimónia terá lugar na Câmara Municipal de São João da Madeira, às 11h30. O imóvel é entregue por 50 anos à Hoti Star – Portugal Hotéis, S.A., que apresentou a proposta vencedora no concurso, para a exploração de um estabelecimento hoteleiro de 4 estrelas. No mesmo dia, às 14h30, está agendada a assinatura do contrato de concessão, reabilitação e exploração turística do Forte da Barra de Aveiro, em Ílhavo, numa cerimónia que ocorrerá nas instalações da Administração do Porto de Aveiro, com a concessionária AM + PM, Lda. [28.10.2020]
No âmbito do Programa REVIVE, a Universidade de Évora (UÉ) e o Governo, através da Secretaria de Estado do Turismo, assinam esta sexta-feira o contrato de concessão da Quinta do Paço de Valverde com a empresa SABIR Investimentos, para a transformação do imóvel numa unidade hoteleira. [Diário Imobiliário|16.10.2020]
Está aberto o concurso para concessão do Mosteiro de Santo André de Rendufe, em Amares, no âmbito do Programa Revive, por um período de 50 anos. Com uma área total de construção de 5 565 m2, o investimento estimado para a recuperação e adaptação do imóvel à exploração turística é de 5,5 milhões de euros. O Mosteiro de Santo André de Rendufe foi um dos principais centros beneditinos portugueses entre os séculos XII e XIV, remontando a sua construção a data anterior a 1090. [7.8.2020]
Atendendo às restrições impostas pelas medidas de contingência de combate ao COVID 19 e pela declaração do estado de emergência, ao funcionamento dos serviços da APA, S.A. e aos eventuais interessados, a Administração do Porto de Aveiro decidiu prorrogar o prazo para apresentação de propostas ao Concurso Público para a concessão do Forte da Barra até às 19h00 do próximo dia 8 de junho [Notícias de Aveiro | 2.5.2020]
O concurso lançado no âmbito do programa Revive para a concessão do Palacete dos Condes, em S. João da Madeira, recebeu “apenas uma proposta”. Trata-se de uma empresa que representa em Portugal o grupo de hotéis Meliá. “O júri do concurso já se reuniu, é composto por elementos da autarquia e por membros indicados pelo Turismo de Portugal”, disse, a ‘O Regional’, o Presidente da Câmara de S. João da Madeira, que entende que “a proposta reúne todos os requisitos de aceitação” e que foi adjudicada na última reunião de Câmara. Jorge Vultos Sequeira entende tratar-se de um passo “muito importante na vida da cidade e, caso se concretize, serão conseguidas duas coisas: a reabilitação de um equipamento devoluto há vários anos, que se está a degradar, e atrair um investimento para S. João da Madeira no sector turístico, o que permite reforçar a oferta hoteleira, alavancar o programa de Turismo Industrial e ter um apoio às nossas empresas”, enfatizou. [O Regional | 26.3.2020]
Foi adjudicada a concessão de exploração de mais dois imóveis no programa Revive. As empresas vencedoras são a Imobimacus - Sociedade Administradora de Imóveis, S. A., do Grupo Hotéis Turim, que ganhou a concessão do Mosteiro do Lorvão, em Penacova, e a Hoti Star – Portugal Hotéis, S.A., que ganhou a concessão do Palacete dos Condes Dias Garcia, em São João da Madeira. A Imobimacus deverá realizar um investimento na ordem dos 6,9 milhões de euros para a recuperação e instalação de um estabelecimento hoteleiro no Mosteiro do Lorvão. A renda anual devida pela concessionária ao Estado é de 40 mil euros. A Hoti deverá pagar uma renda anual de 30.528,00 euros pela concessão do Palacete dos Condes, em São João da Madeira, estimando-se um investimento a rondar os 4 milhões para a recuperação deste imóvel e instalação de um estabelecimento hoteleiro de 4 estrelas. [25.3.2020]
Foi assinado, no dia 13 de março, com Jean Claude Frederic Frajmund, de nacionalidade francesa, o contrato de concessão do Mosteiro de São Salvador de Travanca, em Amarante, no âmbito do programa REVIVE. O Mosteiro, que integra uma das mais belas torres medievais portuguesas e faz parte do percurso cultural da Rota do Românico, será reabilitado e convertido num estabelecimento hoteleiro de 4 estrelas, com cerca de 40 quartos, num investimento estimado em cerca de 2,3 milhões de euros. O projeto turístico deverá aliar a história do imóvel e o ambiente medieval ao conforto e sofisticação da modernidade, com uma componente de saúde e bem estar, tendo abertura prevista para o início de 2023.
O contrato de concessão para a reabilitação e exploração do Paço Real de Caxias, em Oeiras, como estabelecimento hoteleiro foi assinado hoje com a concessionária Imobimacus - Sociedade Administradora de Imóveis, SA, do Grupo Hotéis Turim. O imóvel é entregue por 50 anos à empresa que apresentou a proposta vencedora no concurso, que deverá pagar ao Estado uma renda anual de 216 mil euros pela concessão, e assegurar o investimento de recuperação do imóvel estimado em cerca de 11,6 milhões de euros. [2-3-2020]