Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

Antigo mosteiro feminino de Clarissas, de fundação seiscentista, construído ao longo dos séculos XVII e XVIII, em substituição do antigo mosteiro medieval de Santa Clara-a-Velha, vítima das inundações periódicas do rio Mondego.

O conjunto edificado é constituído pelas dependências monacais (em que sobressai o refeitório com paredes forradas a azulejos da época, bancos corridos e púlpito), pelas construções anexas (duas capelas e outras edificações militares mais recentes, implantadas na área da cerca) e igreja e museu (excluídos do âmbito deste programa de valorização do património).

O mosteiro, de características arquitetónicas maneiristas, tem planta quadrangular irregular, prolongada por duas alas definindo um eixo N-S, com dois pisos (mais um nos torreões), originando no interior extensos corredores abobadados com pé-direito elevado, confinantes com duas fileiras de celas contíguas, de grandes proporções, com janelas altas no piso térreo (a que se acede por degraus) e janelas pouco elevadas do chão no andar superior. No exterior existe um grande terreiro fronteiro de acesso, com excelente panorâmica sobre Coimbra e rio Mondego, e a tardoz um enorme terreno murado (cerca), com árvores de grande porte, podendo vir a ser transformado em jardim. 

A área a afetar a uso turístico é a totalidade do imóvel, com exceção da Igreja e do Museu, e o modelo jurídico é o de concessão.

Concelho: 
Coimbra
Envolvente: 
Localizado na margem esquerda do Rio Mondego, no Alto de Santa Clara, contrapõe-se à Universidade de Coimbra, beneficiando de vistas privilegiadas sobre a cidade e os seus monumentos.
Categoria de proteção: 
Monumento Nacional
Técnico Responsável: 
Rita Assis Pacheco
Localização: